Prova de Residência

A síndrome do 8 ou 80

Conheça os três grandes pilares que proporcionarão a sua aprovação na prova de residência médica.

23/12/2018 Eduardo Côrtes

Quando falamos em preparação de excelência para as provas de residência ou qualquer concurso, normalmente o foco é colocado nos materiais.

Todos acham que ter aulas excelentes, livros e apostilas com ótimas didáticas, flashcards e questões comentadas são aspectos fundamentais para a aprovação. E antes que perguntem, com certeza ter materiais de qualidade é importantíssimo e representa 1 dos 3 grandes pilares para aprovação na prova de residência.

Já o segundo pilar tem ganhado visibilidade, o que inclusive explica o crescimento da JJ Mentoria nos últimos anos: o método.

Afinal, não adianta você ter os melhores materiais do mundo se não souber como usá-los.

Não vamos nos aprofundar em metodologia de estudo para residência médica neste artigo, mas já adianto que os 2 erros mais comuns de estratégia, que atingem mais de 90% das pessoas: método inviável de ser seguido dentro da rotina de um médico ou estudante de medicina - não adianta criar o cronograma dos sonhos e não cumpri-lo - e não incluir as revisões repetidas e espaçadas.

Porém, hoje nosso assunto será o 3º pilar, talvez o mais subestimado e um dos maiores desafios para as provas de residência: ter uma mentalidade capaz de manter motivação e consistência durante toda a preparação.

Se parece pouco relevante para você, não se engane: quase todos os seus concorrentes também possuem materiais de alta qualidade. Até aí nós temos um empate...

Atualmente, o que realmente decide as vagas de residência são o método utilizado e a mentalidade de cada um.

E hoje meu compromisso é fazer tudo que eu posso para evitar que você cometa um erro extremamente comum e absolutamente letal para as suas chances de aprovação nas provas de residência.

Espero que este artigo sirva como uma vacina e você não contraia de forma alguma a síndrome do 8 ou 80, responsável por inúmeros insucessos nas provas de residência.


Síndrome do 8 ou 80

Provavelmente você já ouviu falar dessa expressão e a verdade é que não há nada que ilustre esse erro tão bem como ela.

8 ou 80 significa ir de um extremo a outro sem encontrar um equilíbrio, normalmente representa algo insustentável.

No caso da preparação para as provas de residência, é exatamente isso que ocorre…

No início do ano, todos estão muito motivados para estudar e se preparar da melhor maneira. Ninguém falta uma aula do cursinho, as apostilas estão (quase) em dia e até a revisão está sendo feita.

Porém, as semanas e meses começam a passar…

O internato começa a pesar, o estágio fica mais puxado, o TCC (trabalho de conclusão de curso) precisa ser entregue, a formatura está chegando. Para quem já está formado, pior ainda.

Aquele ritmo excelente já não é mais o mesmo, as apostilas começam a atrasar, as aulas já começam a ficar muito longas e a revisão é apenas uma miragem.

E sabe o pior? Você já ouviu falar da teoria das janelas quebradas?

Esse é um conceito criado por criminalistas norte-americanos e que foi fundamental na redução de criminalidade conseguida por diversas cidades nos EUA há pouco mais de duas décadas.

A teoria das janelas quebradas diz que, se não houver reparo rápido de um vidro quebrado numa fábrica, por exemplo, rapidamente vários vidros de janelas também seriam quebrados por outras pessoas no mesmo local.

O primeiro vidro quebrado seria um sinal de que aquilo é algo tolerável e aos poucos o comportamento se ampliaria.

Tal conceito foi usado pelas autoridades locais, de modo que pequenos delitos passaram a não ser mais tolerados, delimitando objetivamente quais comportamentos não seriam aceitos.

Isso revolucionou a segurança pública de locais antes extremamente violentos, com destaque para Nova York, atualmente uma das cidades mais seguras dos Estados Unidos.

A teoria das janelas quebradas explica exatamente o que ocorre todos os anos entre março a julho com a maioria das pessoas que se prepara para as provas de residência. O que antes era um pequeno atraso no cronograma, rapidamente se amplia e torna-se um grande atraso.

Infelizmente, muitos acabam “chutando o balde” em algum momento. Ou seja, o 80 se transforma em 8. Você perde sua vaga por WO.

Solução

Para evitar a síndrome do 8 ou 80, a primeira providência é saber da sua existência e que todos nós somos vulneráveis a ela durante uma preparação para concurso.

É simplesmente impossível você se manter muito motivado por 1 ou 2 anos, sem qualquer momento de dificuldade. O segredo não é evitar a desmotivação, mas sim conseguir identificá-la rapidamente e enfrentá-la. Procrastinar nesse caso pode ser fatal.

Além disso, contar com um grupo com o mesmo objetivo que o seu pode ajudar bastante a manter sua mentalidade intacta ao longo da preparação. E nesse caso eu não estou falando em um grupo de amigos e amigas, necessariamente.

Mais importante do que sua proximidade, é necessário que você esteja inserido(a) em um grupo de pessoas com grande motivação para as provas de residência, aquelas que te puxam para cima, ao invés de aumentar sua distração.

Por fim, preciso chamar atenção para algo fundamental…

No início do texto, citei os 3 pilares para aprovação nas provas de residência e disse que a grande maioria das pessoas só se preocupam com o 1º (materiais).

No entanto, essa separação em 3 itens é apenas didática, já que um fator influencia diretamente os outros.

Se você decidir que vai ler absolutamente todas as apostilas e assistir a todas as aulas do cursinho (não recomendado), é praticamente impossível que o seu método inclua revisões repetidas e espaçadas. Além disso, você terá enorme dificuldade para cumprir suas metas de estudo ao longo do tempo e isso vai derrubar sua mentalidade e motivação.

Ou seja, um erro de material gera um efeito em cadeia, cuja consequência é uma preparação ruim e o fracasso nas provas.

Nunca devemos tentar encaixar um método de acordo com os materiais - por melhores que eles sejam -, mas sim o contrário.

É muito mais eficiente você comprar os ingredientes depois de definir sua receita. O oposto pode até dar certo, mas é algo aleatório.

Conclusão

Ter momentos de desmotivação ao longo da preparação para as provas de residência é algo absolutamente normal e praticamente inevitável.

Porém, “chutar o balde” pode ser fatal para as suas pretensões e você precisa impedir que isso aconteça.

Para isso, é importante lembrar da teoria das janelas quebradas e identificar rapidamente momentos de desmotivação para que eles não se prolonguem. Adiar demais o conserto da janela é um grande erro.

Participar de um grupo com pessoas focados nos mesmos objetivos que você também é uma forma efetiva de evitar a síndrome do 8 ou 80.

Por fim, lembre-se que seu método e materiais também possuem enorme influência na sua motivação. Evite escolher os ingredientes antes de definir sua receita e, principalmente, não crie um cronograma sem levar em conta seu tempo disponível para cumpri-lo.

Não adianta ter o melhor método nem os melhores materiais, se sua mente não estiver preparada para o desafio. Cuide dela.