Prova de Residência

As duas únicas maneiras de melhorar seu estudo e porque uma é MUITO melhor que a outra

Conheça as duas únicas maneiras de melhorar o seu estudo e dê um upgrade na sua preparação.

04/12/2018 Eduardo Côrtes

Melhorar o estudo e aumentar o desempenho nas provas é o que todos desejam no ano de preparação para as provas de residência.

Simplificando o processo, podemos dizer que existem apenas duas maneiras de melhorar o seu estudo, seja para a residência médica, ou qualquer outro tipo de concurso.

A partir de agora, vamos mostrar quais são essas duas maneiras e comprovar porque aquela que a maioria das pessoas utiliza infelizmente é a menos efetiva (de longe).

As duas maneiras

Quando você pensa no que é necessário fazer para passar nas provas de residência, o que vem na sua cabeça?

Não sei se foi o seu caso, mas a grande maioria das pessoas responde algo como:

“Preciso estudar mais!”

“Tenho que sentar a bunda na cadeira e estudar.”

“Tenho que ler todas as apostilas e assistir a todas as aulas do cursinho.”

As respostas mais comuns representam a primeira maneira de melhorar sua preparação: aumentar o tempo de estudo.

Pode parecer óbvio, mas se você dobrar o tempo dedicado ao estudo, a tendência é que a sua preparação melhore e seu desempenho aumente. Não é incomum escutarmos aquelas histórias de pessoas que foram aprovadas em diversos concursos ao mesmo tempo e que estudavam muitas horas por dia.

Estudar por mais tempo é o jeito mais óbvio de melhorar sua preparação e aquele que 90% das pessoas usam ou, no mínimo, se preocupam em tentar usar.

Já a segunda maneira de melhorar o estudo é mais subjetiva e frequentemente ignorada. Afinal, se todo mundo diz que precisa estudar mais, poucos se preocupam em estudar melhor.

É isso mesmo…

Aumentar a produtividade do estudo é um assunto em alta no meio científico, tema de artigos de neurociência e aprendizado, porém muito pouco discutido na vida real, na rotina daqueles que realmente estão no campo de batalha, fazendo provas cada vez mais concorridas.

E sabe o que é pior?

Estudar melhor é infinitamente mais efetivo do que estudar por mais tempo e eu irei comprovar isso ainda neste artigo.

A melhor maneira

Imagine que, durante os primeiros anos da sua faculdade de medicina, você tenha estudado em média duas horas por dia. Ao chegar no ano da prova de residência, certamente o seu objetivo agora será estudar mais.

Afinal, para passar na residência médica basta “sentar a bunda na cadeira e ler todo o conteúdo.”

Dessa forma, caso você consiga realmente estudar mais, a tendência é a sua preparação melhorar, assim como seu desempenho nas provas.

Porém, existem alguns problemas graves nessa ideia…

O seu tempo está cada vez mais escasso.

Se antes sua preocupação eram apenas as aulas da faculdade, agora você está no internato e a pressão é cada vez maior. O trabalho de conclusão de curso precisa ser finalizado e você ainda tem um estágio na emergência ou CTI. Para completar, você está muito inseguro(a) com o início da carreira e ainda tem que resolver diversos problemas da sua formatura.

Caso você já tenha se formado, a situação piora ainda mais, com os infinitos plantões, pacientes da clínica da família e enorme responsabilidade.

Ou seja, a ideia de aumentar o tempo de estudo será muito complicada. Pode até funcionar no início do ano, mas a tendência é que você não aguente o ritmo ao longo dos meses.

Infelizmente, é isso que ocorre com a maioria das pessoas no ano das provas de residência.

Por outro lado, estudar melhor significa exatamente aprender mais em menos tempo. Aumentar o desempenho nas provas usando o mesmo tempo de dedicação.

E como é possível estudar melhor?

Existem infinitas maneira de aumentar sua produtividade de estudo. É possível direcionar sua atenção para temas mais importantes, usar materiais mais eficientes, revisar no momento certo, etc.

Para usar um exemplo, imagine que você separou 6 horas para estudar dois temas: SUS e colagenoses.

O que a grande maioria das pessoas faz é dividir 3 horas para cada assunto e ler as respectivas apostilas (ou parte delas) com muita dificuldade. Como as aulas e textos de cada tema possuem mais ou menos o mesmo tamanho, isso acaba sendo uma estratégia intuitiva e até estimulada pela maneira como os cursinhos trabalham.

Afinal, se nessa semana eu recebi essas duas apostilas, eu precisa estudá-las… missão dada é missão cumprida!

O problema é que, analisando as estatísticas dos anos anteriores, vemos que as questões sobre SUS são quase 10 vezes mais comuns do que as que abordam colagenosas nas provas de residência.

Ou seja, aquelas três horas que você gastou estudando colagenoses são quase 10 vezes menos produtivas. Seria MUITO mais inteligente priorizar o estudo de SUS.

Aprofundando um pouco mais, percebemos que, dentro do universo de questões sobre colagenoses, é muito comum que as bancas cobrem a relação de alguns auto-anticorpos com algumas doenças específicas.

Por exemplo, é fundamental saber que o anti-Sm é o anticorpo mais específico para o diagnóstico de Lúpus e o anti-CCP para o diagnóstico de artrite reumatoide.

Será que aqueles textos longos de apostilas são o material mais efetivo para decorar esse tipo de informação? Não seria melhor usar flashcards ou mapas mentais, por exemplo?

Infelizmente, esses e outros questionamentos não são feitos e a maioria das pessoas estuda de modo automático, só se preocupando com a quantidade e não com a qualidade da preparação.

Voltando à comparação entre estudar mais e estudar melhor, vimos agora que um simples direcionamento de assunto pode aumentar em quase 10 vezes a produtividade de algumas horas de estudo. Isso sem falar no direcionamento dentro de cada tema, o que pode ser ainda mais poderoso.

Em contraste, pode ser praticamente impossível dobrar ou triplicar o tempo de dedicação, especialmente na rotina de um estudante de medicina ou médico. Além disso, mesmo que isso seja possível, a tendência é que o cansaço e o estresse reduzam ainda mais a produtividade do estudo.

Conclusão

Existem apenas duas maneiras de melhorar sua preparação para as provas de residência médica ou qualquer outro concurso.

Uma delas vai tornar seu tempo ainda mais escasso, vai gerar estresse e a grande maioria das pessoas não aguenta mantê-la por mais do que alguns meses.

Já a outra envolve aumento de eficiência e produtividade, sem prejudicar a sua já pesada rotina.

Estudar melhor é MUITO mais inteligente do que estudar mais. Faça essa opção e seja feliz.