MENTORIA 2018

ESTUDE COM INTELIGÊNCIA PARA AS PROVAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA.

Conheça nosso método focado nos conteúdos chave de cada assunto e muita revisão.

PLANEJAMENTO É TUDO

PLANEJE SUA PREPARAÇÃO USANDO A EXPERIÊNCIA DE QUEM JÁ PASSOU POR ISSO.

“ESSA É A OPORTUNIDADE PARA VOCÊ TER O MÉTODO MAIS INTELIGENTE DE PREPARAÇÃO PARA AS PROVAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO BRASIL, ALINHADO COM O QUE HÁ DE MAIS ATUAL EM NEUROCOGNIÇÃO E APRENDIZADO”.

Mentoria Direcionada Para a Prova de Residência Médica

JJ MENTORIA 2019

A Mentoria tem como grande objetivo reunir pessoas que realmente acreditam no método de direcionamento e preocupação com a qualidade, e não somente com a quantidade, de estudo. Todos sabemos que a matéria das provas de residência compreende a medicina inteira e é absolutamente impossível estudar e revisar tudo em 1 ano. Nós aceitamos essa premissa e por isso planejamos minuciosamente o estudo: cada tema tem seu peso e deve ser estudado de maneira diferente, assim como ocorre na revisão. Estudo com inteligência.

QUERO ME INSCREVER

ÚLTIMOS ARTIGOS POSTADOS

veja mais

O QUE DIZEM DE NÓS

  • “Pessoal da JJ Mentoria, queria parabenizá-los pelo excelente trabalho de vocês!! Já sou aluna da Mentoria e adorei o vídeo de revisão do YouTube!! Todos os materiais são excelentes e cada dia vocês chegam com uma novidade melhor!!! Parabéns!!!

    - Liliane

  • “É um estudo bastante direcionado, com bastante foco, pra gente não se perder nesse infinito de matéria.”

    Juliana - Mentoranda de 2017 e residente de medicina da família

  • “O Eduardo e o Jorge conseguiram identificar os temas mais relevantes para o estudo e eles também conseguiram identificar os tópicos mais importantes dentro de cada tema que eu estudava, fazendo com que eu tivesse consciência daquilo que realmente caía nas provas de residência... e eu aumentei muito o número de acertos e realmente a JJ Mentoria foi fundamental para minha preparação para as provas de residência médica.”

    Augusto - Mentorando de 2017 e residente de anestesiologia

  • “Pra mim a Mentoria serviu muito para eu tirar as inseguranças da cabeça e ter certeza que se eu continuasse estudando daquele jeito eu teria certeza que ia dar certo.”

    Maria Luiza - Mentoranda de 2017 e residente de clínica médica

NAS REDES SOCIAIS

VOCÊ ESTÁ ASSISTINDO

HIPOGLICEMIANTES

MAIS VÍDEOS

Marque seus amigos e amigas que também precisam saber desses dados importantíssimos!

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#psiquiatria
Os antidepressivos tricíclicos já são usados há bastante tempo no tratamento de dores crônicas.

Mas será que eles podem ser úteis também na lombalgia?? Entre no story e clique na link para se atualizar no artigo do Dr. Marcelo Gobbo!
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO:

Conhecer as principais causas de leucocoria.

Questão de 2017 da SES-RJ, cobrando seu conhecimento sobre um dos testes realizados no RN - por sinal, todos muito comuns em provas teóricas e práticas.

Nesse caso, o RN apresenta leucocoria, uma anormalidade no "teste do olhinho", em que o reflexo pupilar, normalmente vermelho, torna-se branco ou esbranquiçado. Isso reflete uma anormalidade anterior à retina, modificando o trajeto normal da luz.

Mas afinal, quais doenças podem causar leucocoria?

A mais famosa e temida, sem dúvida nenhuma, é o retinoblastoma, tumor maligno ocular mais comum na infância.

Porém, existem outras causas importantes, como a catarata congênita, persistência de vítreo hiperplásico, toxocaríase, etc.

Portanto, podemos ver que o glaucoma, apesar de sua importância epidemiológica, não é uma causa de leucocoria e por isso a resposta é letra B.

E já que tocamos no assunto, você sabe quais são os principais sinais e sintomas de glaucoma na infância?

Responda nos comentários e marque seus amigos e amigas que sabem tudo de oftalmo e pediatria!
Você sabe exemplos de bifosfonatos?
Comente e marque seus amigos para lembrá-los que farmaco é FUNDAMENTAL para as provas!

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#farmacologia
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO: 
Conhecer os marcos fundamentais do estadiamento do câncer de colo de útero, relacionando com a conduta.

Questão do último domingo, cobrada no SUS-SP e que mais uma vez ratifica nossa tese sobre os estadiamentos.

Já sabe qual é?

Então anote aí: é impossível e nós não recomendamos que você tente memorizar o estadiamento completo das neoplasias malignas.

Mesmo que você escolhesse alguns tipos de câncer mais importantes, seria uma missão muito complicada e que te tomaria tempo valioso de estudo.

Porém, é extremamente recomendável que você conheça os marcos fundamentais dos principais tipos de neoplasias.

E esses marcos quase sempre são aqueles pontos do estadiamento que modificam a conduta.

Nesse caso, a informação que o tumor atingiu o terço inferior da vagina foi o marco fundamental que contraindica qualquer procedimento cirúrgico e te obriga a indicar a radioterapia, acompanhada ou não de quimioterapia.

Portanto, acertar sem dificuldade esse tipo de questão é um reflexo direto de uma boa preparação e, no fim das contas, é o que vai definir as vagas nas residências mais concorridas.

Gostou da explicação? Deixe seu comentário e não se esqueça de marcar seus amigos e amigas para eles nunca mais errarem no estudo de oncologia!
Não vá para qualquer prova sem memorizar isso... E não se esqueça de marcar seus amigos e amigas!

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#preventiva
#epidemiologia
Desejamos uma excelente prova a todos que vão fazer o SUS-SP (e todas as outras) amanhã!! E fica a dica... #vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#pediatria
#reumatologia
Para o pessoal que vem pedir desconto no Whitebook, avisamos que agora é possível pagar o plano anual em até 12 vezes!

Se quiser garantir plantões (bem) mais sossegados até o fim de 2019, só entrar no story e clicar no link!
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO:

Reconhecer o quadro de vaginose bacteriana e conhecer as indicações do tratamento do parceiro.

Questão da UNICAMP de algumas semanas atrás, que parecia bem fácil, mas com uma pegadinha clássica nas opções de resposta dificultando um pouco.

Afinal, o quadro clínico de vaginose bacteriana (VB) não poderia ser mais completo:

Corrimento acinzentado, odor fétido, teste das aminas positivo, pH alcalino e, principalmente, ausência de inflamação - o principal fator que diferencia a VB da tricomoníase nas provas.

A partir do diagnóstico, nós rapidamente procuramos o tratamento correto da vaginose, que é feito com Metronidazol tópico ou via oral. 
O problema é que existiam essas duas opções na questão... Porém, a letra D fala em indicação do antibiótico para o casal, o que NÃO está indicado no caso da vaginose bacteriana.

Apesar de ser estudada no grupos das DST
E contraindicação materna, alguém sabe?? #vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#pediatria
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO:

Conhecer os conceitos de avaliação de testes diagnósticos.

Dessa vez vamos fazer diferente, já deixando claro que a resposta é a letra C - os valores preditivos não são influenciados pela incidência, mas sim pela PREVALÊNCIA das doenças!

E já falamos a resposta porque, MUITO mais importante do que saber a opção certa, é você compreender perfeitamente os conceitos dos valores preditivos e suas principais características. 
Mas afinal, o que é o valor preditivo positivo?

Para entendê-lo, imagine a seguinte situação: seu paciente fez uma sorologia para determinada doença e deu positivo. Mas nós sabemos que não existe sorologia infalível, que não possa ter um resultado falso.

Então qual é a chance do seu paciente com a sorologia positiva REALMENTE ter a doença?

Isso é valor preditivo positivo!

E agora preste atenção no conceito fundamental, cobrado ano após ano e que continua confundindo muita gente... Imagine que o exame positivo desse paciente era uma sorologia para o HIV, ele é um usuário de drogas endovenosas e tem comportamento sexual de risco.

Sabendo dessas informações, a chance do resultado positivo da sorologia ser verdadeiro aumenta assustadoramente. 
Ou seja, o VPP não é um característica intrínseca ao teste e é influenciado pela prevalência da doença e pelo contexto clínico/epidemiológico de cada indivíduo.

É exatamente por isso que a opção A está correta, já que doenças raras reduzem o valor de VPP. É como uma pessoa com teste para malária positivo na Suécia… você não desconfiaria?

Nós citamos o VPP, mas o VPN é a mesma ideia, porém você deve imaginar um paciente com sorologia negativa e o VPN representa a chance desse resultado ser verdadeiro (realmente não tem a doença). Voltando ao nosso exemplo do paciente usuário de drogas endovenosas, se ele tem uma sorologia negativa para o HIV, ainda assim nós mantemos aquela "pulga atrás da orelha". Ou seja, quanto maior a prevalência da doença, menor é o VPN.

Se você entendeu tudo que foi falado acima, é CERTEZA que vai garantir pontos nas provas!

Gostou da explicação? Deixe seu comentário e não deixe de marcar seus amigos e amigas!
Falaram que reumato é difícil? Não nas provas de residência!

Alguém lembra de mais algum "pensa rápido" de reumato?? .

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#reumatologia
Já que estamos falando de escores, alguém sabe os parâmetros avaliados no MELD? 
Obs: muitas provas já cobraram!

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#hepatologia
Já conhece as novidades sobre essa doença cada vez mais em evidência?

O momento é agora... Link nos stories!
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO:

Conhecer as diferenças clínicas entre os tumores de cólon de lado direito e esquerdo.

Questão da UNICAMP deste ano, cobrando um CCQ clássico e que você não pode ignorar de jeito nenhum.

Afinal, nós sabemos que a clínica do adenocarcinoma de cólon pode mudar completamente, dependendo da sua localização... No lado esquerdo, as fezes já estão formadas e por isso o tumor tende a causar constipação, ao contrário do que ocorre nos tumores de cólon ascendente.

Neste caso, a primeira manifestação clínica tende a ser uma anemia ferropriva, causada por sangramento crônico, muitas vezes imperceptível.

E é importante ressaltar que os tumores de ceco e cólon ascendente tem aumentado bastante sua incidência, o que justifica o uso da colonoscopia - ao invés da retossigmoidoscopia - como exame de rastreio para o câncer de intestino grosso.

Mas voltando à questão, claramente a opção D é a melhor resposta, apesar do enunciado ter um erro que consideramos grave, especialmente para uma banca tão respeitada como a da UNICAMP.

Alguém sabe dizer qual é esse erro? 
Responda nos comentários e não deixe de marcar seus amigos e amigas que também irão fazer prova de residência!
E se a avidez fosse baixa? Qual seria a primeira medicação a indicar?
Responda nos comentários!

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#obstetrícia
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO:

Conhecer as características básicas da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e suas complicações.

Questão de agora da UFPR, testando seu conhecimento sobre a DRGE.

Olhando as opções de resposta, era mais fácil excluir aquelas claramente erradas do que eleger a correta.

A letra A está errada, já que o diagnóstico de DRGE é clínico, confirmado com a melhora dos sintomas durante o teste terapêutico com inibidores da bomba de próton (IBP). Na maioria dos casos, não é necessário qualquer exame complementar.

Usando o mesmo raciocínio, também podemos excluir a letra D, lembrando que o tratamento é medicamentoso, ficando a cirurgia para casos graves e refratários.

Por fim, a letra C diz que o esôfago de Barret consiste na displasia da mucosa esofágica, quando na verdade é uma metaplasia intestinal da mucosa do esôfago.

Pode parecer a mesma coisa, mas metaplasia nada mais é do que a substituição de um tecido maduro de um órgão por outro tecido maduro. No caso, o tecido esofágico normal é substituído pela mucosa intestinal.

Já a displasia consiste em tecidos anômalos, com muitas células imaturas e que podem evoluir rapidamente para neoplasias. 
No caso do esôfago de Barret, a displasia pode ser uma evolução da metaplasia, acendendo o sinal amarelo para o surgimento de câncer.

Portanto, a letra C está errada, restando a opção B como resposta correta.

Mas antes de terminar e aproveitando que tocamos no assunto, nós perguntamos:

Qual tipo histológico de câncer esofágico está relacionado ao esôfago de Barret?

Responda nos comentários e não deixe de marcar seus amigos e amigas que também irão fazer provas de residência!
Já que tocamos no assunto, alguém sabe qual o melhor exame de imagem para diagnóstico de cálculo renal?

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#urologia
Já que tocamos no assunto, qual delas precisa ser sempre biopsiada? Por quê? Responda nos comentários!

#vaicair
#jjmentoria
#provaderesidencia 
#gastro
CONTEÚDO-CHAVE PARA QUESTÃO:

Saber qual tipo histológico está mais relacionado às síndromes de Pancoast e Horner.

Questão deste ano da UNICAMP, cobrando um CCQ clássico, daquelas que quem estuda com direcionamento acerta sem nem pensar duas vezes.

Antes de mais nada, é preciso reconhecer os sinais e sintomas das síndromes de Pancoast e Horner.

As alterações sensitivas e motoras no membro superior direito nos fazem pensar em lesão de plexo braquial, enquanto a miose e ptose indicam compressão de cadeia ganglionar simpática.

De qualquer forma, mesmo que você tivesse dificuldade em identificar as síndromes, as opções de resposta já nos dão a certeza que trata-se de lesão compressiva causada por câncer de pulmão, uma associação muito lembrada pelas bancas.

E é fundamental saber que, assim como ocorre no câncer de tireoide e ovário, por exemplo, as diferenças entre os tipos histológicos das neoplasias pulmonares são CCQ
Uma mente que se abre a uma nova ideia jamais retornará ao tamanho original.
ENDEREÇO Rua General Glicério, 106, Laranjeiras, Rio de Janeiro. CEP: 22245-120
TELEFONES (21)99905-8855
E-MAIL equipe@jjmentoria.com.br

CONTATO

ENTRE EM CONTATO COM NOSSA EQUIPE PELO FORMULÁRIO ABAIXO E/OU POR NOSSOS TELEFONES.

ENDEREÇO Rua General Glicério, 106, Laranjeiras, Rio de Janeiro. CEP: 22245-120
TELEFONE (21)999058855
E-MAIL equipe@jjmentoria.com.br