JJCAST

Revisando com Questões: Diarreia na Infância

Nesse episódio, questões comentadas das instituições: SUS-SP, IAMSPE-SP, USP-RP, UERJ.

Gravado por Eduardo Côrtes em 30 de Setembro de 2019

Bem vindo ao Podcast Revisando com Questões, a nossa série semanal de questões de provas de residência médica, de grandes instituições do país, comentadas ao melhor estilo JJ Mentoria de estudar.

O tema dessa semana é Diarreia na Infância e teremos questões das seguintes instituições: SUS-SP, IAMSPE-SP, USP-RP, UERJ.

Confira os enunciados das questões na íntegra:

SUS-SP
RN termo, sexo masculino, parto normal sem intercorrências, peso de nascimento 3.125 g, é levado em consulta pela mãe fora de dia no UBS, pois tem apresentado evacuações 8 vezes ao dia, explosivas, de aspecto amolecido e esverdeado. Mãe refere cólicas ao final do dia que melhoram espontaneamente. Não apresentou febre, tem boa pega e aceitação das mamadas, estando em aleitamento exclusivo. Diurese presente. Exame físico sem alterações. Ainda aguarda o resultado do teste do pezinho. A hipótese diagnóstica mais provável é:

a) Alergia à proteína do leite de vaca.
b) Fibrose cística.
c) Doença diarreica do lactente.
d) Evacuações normais do lactente.
e) Intolerância a lactose.


IAMSPE-SP
Lactente de 8 meses de idade apresentou fezes diarreicas sem sangue ou muco há nove dias. O agente etiológico foi identificado como rotavírus. Desde então, vem apresentando evacuações líquidas, explosivas, oito vezes ao dia. No exame físico, é notada distensão abdominal e hiperemia anal. A principal hipótese diagnóstica é:

a) Contaminação bacteriana secundária.
b) Intolerância secundária à lactose.
c) Enterocolite necrotizante.
d) Persistência do agente etiológico na luz intestinal.
e) Giardíase.

USP-RP
Lactente, 5 meses de idade, vem apresentando diarreia há 4 semanas, as fezes são semilíquidas, amareladas, com muco e sangue, odor pútrido, 7 vezes ao dia, associado à cólica abdominal. Mãe nega febre. Alimentação: leite materno exclusivo. Ao exame físico: bom estado geral, descorado 1+/4+, ativo. Peso de 6.500 g, comprimento 64 cm (ambos no percentil 50), restante sem anormalidades. Baseado nesta história, como fazer o diagnóstico e qual a melhor conduta a ser tomada?

a) Fazer exclusão de leite de vaca e derivados da dieta materna.
b) Solicitar coprocultura, prescrever azitromicina via oral, durante 3 dias.
c) Solicitar IgE sérica específica para leite de vaca, fazer exclusão de leite de vaca e derivadas da dieta materna.
d) Solicitar colonoscopia com biópsia, prescrever fórmula de aminoácidos.

UERJ
Lactente de 18 meses é trazida ao pediatra pois a mãe acha que a criança parou de crescer. Na anamnese dirigida, refere que a criança apresenta episódios de distensão abdominal e diarreia frequentes e intermitentes, sem a presença de sangue. Segundo a mãe, o quadro de diarreia se iniciou por volta dos nove meses após a introdução completa da dieta complementar. Ao exame, nota-se a criança hipocorada, com abdome distendido, porém sem sinal de irritação peritoneal, com restante do exame físico sem alterações. À avaliação nutricional, apresenta-se abaixo do escore Z -3 em estatura para a idade e entre os escores Z -2 e -3 em peso para a estatura e IMC para a idade. Tem hemograma recente que mostra anemia ferropriva. A principal hipótese diagnóstica e a classificação nutricional para esse caso, respectivamente, são:

a) Giardíase / baixa estatura para a idade e eutrófica.
b) Intolerância à lactose / baixa estatura para a idade e eutrófica.
c) Doença celíaca / muito baixa estatura para a idade e magreza.
d) Síndrome do intestino irritável / muito baixa estatura para a idade e magreza.


Essas foram as questões comentadas da série Revisando com Questões desta semana. Conte-nos o que você achou nos comentários! Sua opinião é muito importante para nós!


Olá, O que você achou deste conteúdo? Conte-nos nos comentários!