JJCAST

Revisando com Questões: Doenças Respiratórias do RN

Nesse episódio, questões comentadas das instituições: UFMT, UNIFESP, UNESP e UFRJ.

Gravado por Eduardo Côrtes em 27 de Janeiro de 2020

Bem vindo ao Podcast Revisando com Questões, a nossa série semanal de questões de provas de residência médica, de grandes instituições do país, comentadas ao melhor estilo JJ Mentoria de estudar.

O tema dessa semana é Doenças Respiratórias do RN e teremos questões das seguintes instituições: UFMT, UNIFESP, UNESP e UFRJ.

Confira os enunciados das questões na íntegra:

UFMT
Em relação às patologias respiratórias do período neonatal, analise as afirmativas: I - A doença da membrama hialina acomete principalmente prematuros acima de 34 semanas de gestação, ou seja, pré-termos considerados tardios. II- As principais alterações radiográficas da taquipneia transitória do recém-nascido incluem infiltrado reticular difuso, broncograma aéreo periférico e aumento do líquido pulmonar. III- A hipertensão pulmonar persistente é responsável pelo agravamento de crianças que aspiram líquido amniótico meconial. IV- O estreptococo do grupo B é o principal patógeno de origem materna responsável pelas pneumonias bacterianas no período neonatal. Estão corretas as afirmativas:

a) I e II, apenas.
b) I, II e III, apenas.
c) II, III e IV, apenas.
d) III e IV apenas.

 

UNIFESP
Recém-nascido com 6 horas de vida com batimento de asa nasal, gemência, taquidispnéia e retração intercostal. História materna de diabetes melito, sendo indicado o parto cesáreo por sofrimento fetal. Peso ao nascer de 2650g, idade gestacional de 35 semanas e sexo masculino. Radiografia de tórax com infiltrado reticulogranular difuso, presença de broncograma aéreo e aumento do líquido pulmonar. Qual a hipótese diagnóstica mais provável?

a) Cardiopatia Congênita.
b) Taquipneia Transitória do Recém-nascido.
c) Pneumonia Precoce.
d) Hipertensão Pulmonar Persistente Neonatal.
e) Síndrome do Desconforto Respiratório Neonatal.

 

UNESP
RN com 36 semanas de idade gestacional, cesárea eletiva, sem trabalho de parto. Mãe saudável e com pré-natal sem intercorrências. Boletim de Apgar = 5-7-9, recebeu um ciclo de ventilação com pressão positiva na sala de parto. Desenvolveu distúrbio respiratório precocemente, caracterizado por taquipneia e tiragem intercostal. O padrão do Rx de tórax e a respectiva conduta são:

a) Condensação grosseira, com áreas de atelectasias e hiperinsuflação; administração endovenosa de corticoide.
b) Infiltrado granular difuso e apagamento da área cardíaca; administração de surfactante exógeno.
c) Hiperinsuflação, congestão peri-hilar e derrame inter-cisural; aplicação de pressão positiva contínua na via aérea (CPAP).
d) Hiperinsuflação pulmonar, apagamento da área cardíaca e broncogramas aéreos; administração de antibioticoterapia empírica.

 

UFRJ
Lactente, feminino, 30 dias, apresenta estridor inspiratório há aproximadamente 20 dias. O estridor tem se tornado cada vez mais frequente e mais audível e piora quando ao choro e/ou agitação. Não apresenta tosse, febre, coriza, vômito ou diarréia. Exame físico: estridor inspiratório de baixa intensidade, tiragem de fúrcula, FR = 52irpm, Sat02=97%; FC = 136bpm. A hipótese diagnóstica mais provável é:

a) Traqueíte bacteriana
b) Paralisia das cordas vocais.
c) Laringomalácia.
d) Condromalácia de traqueia.


Essas foram as questões comentadas da série Revisando com Questões desta semana. Conte-nos o que você achou nos comentários! Sua opinião é muito importante para nós!


Olá, O que você achou deste conteúdo? Conte-nos nos comentários!