JJCAST

Revisando com Questões: Pancreatite aguda

Nesse episódio, questões comentadas das instituições: UNIFESP, UFMT, SCMSP e AMRIGS.

Gravado por Eduardo Côrtes em 05 de Fevereiro de 2020

Bem vindo ao Podcast Revisando com Questões, a nossa série semanal de questões de provas de residência médica, de grandes instituições do país, comentadas ao melhor estilo JJ Mentoria de estudar.

O tema dessa semana é Pancreatite aguda e teremos questões das seguintes instituições: UNIFESP, UFMT, SCMSP e AMRIGS.

Confira os enunciados das questões na íntegra:

UNIFESP
Em relação à Pancreatite Aguda (PA), podemos afirmar que:

a) O grau de elevação das enzimas pancreáticas não se relaciona com gravidade da doença.
b) A amilase é superior à lipase para diagnóstico da PA por apresentar vida média mais longa.
c) O sinal de Grey-Turner é a coloração azulada periumbilical que está associado à gravidade da PA.
d) Em 70% das vezes a doença tem curso grave e necrosante.
e) A obesidade não é fator prognóstico na evolução da PA.


UFMT
Em relação à pancreatite aguda, assinale a afirmativa CORRETA:

a) O tratamento cirúrgico está indicado nas necroses pancreáticas infectadas, enquanto nas necroses estéreis, pode-se optar pela conduta clínica.
b) Na pancreatite aguda leve, o paciente deve permanecer em jejum, sendo a terapia nutricional parenteral a mais indicada.
c) Na pancreatite aguda biliar leve, a colecistectomia deve ser programada após 30 dias de resolução do caso, pois existe risco maior de complicações cirúrgicas antes desse tempo.
d) O CPRE está indicado nos casos de pancreatite grave, mesmo sem evidência de coledocolitíase.

SCMSP
Mulher, 54 anos, foi admitida no serviço de emergência com quadro de pancreatite aguda grave de origem biliar com 1 dia de evolução. Ao exame estava desidratada, taquicárdica, taquipneica, com muita dor à palpação do andar superior do abdome. Amilase de entrada: 1.700 UI/L; leucócitos: 18.000; creatinina 1,9 mg/dl e gasometria da admissão com acidose metabólica. Com relação ao caso, é CORRETO afirmar que:

a) O melhor critério para caracterizar a gravidade sistêmica dessa pancreatite é a dosagem da Proteína C-Reativa (PCR).
b) O prognóstico da doente é ruim, pois a falência orgânica instalada logo à admissão, como nesse caso, é sempre irreversível.
c) A hiperamilasemia não está relacionada à gravidade dessa pancreatite.
d) O quadro clínico sugere sepse grave sendo indicada laparotomia exploradora e necrosectomia.
e) Está indicada a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica precoce, de rotina, pois se trata de uma pancreatite grave.


AMRIGS
São utilizados como critérios prognósticos na pancreatite aguda, EXCETO:

a) Idade.
b) TGP (ALT).
c) Desidrogenase lática.
d) Glicemia.
e) Leucócitos.


Essas foram as questões comentadas da série Revisando com Questões desta semana. Conte-nos o que você achou nos comentários! Sua opinião é muito importante para nós!


Olá, O que você achou deste conteúdo? Conte-nos nos comentários!