JJCAST

Revisando com Questões: Sangramentos na gestação

Nesse episódio, questões comentadas das instituições: UNIFESP, AMP-PR, IAMSPE e SCMGO.

Gravado por Eduardo Côrtes em 14 de Setembro de 2020

Bem vindo ao Podcast Revisando com Questões, a nossa série semanal de questões de provas de residência médica, de grandes instituições do país, comentadas ao melhor estilo JJ Mentoria de estudar.

O tema dessa semana é Sangramentos na gestação e teremos questões das seguintes instituições: UNIFESP, AMP-PR, IAMSPE e SCMGO.

Confira os enunciados das questões na íntegra:

UNIFESP
Tercigesta, 2 partos cesáreos prévios, na 30a semana apresenta sangramento genital. Ao exame: pressão arterial 120 x 80 mmHg, pulso = 85 bpm, dinâmica uterina ausente, altura uterina = 30 cm, batimento cardíaco fetal = 140 bpm. A hipótese diagnóstica e conduta são:

a) Placenta prévia, ressonância magnética com gadolínio.
b) Rotura de vasa prévia, ultrassonografia obstétrica com complementação por via transvaginal.
c) Placenta prévia, ultrassonografia obstétrica com complementação por via transvaginal.
d) Placenta prévia, ressonância magnética sem contraste.
e) Rotura de vasa prévia, ressonância magnética com gadolínio.


AMP-PR
O Descolamento Prematuro de Placenta (DPP) consiste na separação da placenta normalmente inserida (corpo ou fundo do útero) antes da expulsão do feto em gestação de 20 ou mais semanas completas. Essa complicação foi descrita em 1775 e tem, classicamente, grande potencial de morbidade e mortalidade maternas e fetais. Também há maior incidência de coagulopatias, hemotransfusão, histerectomia e infecções puerperais nesses casos. Das alternativas a seguir, assinale aquela que considerar como errada:

a) Nos casos de feto vivo e viável, a cesárea consiste no melhor meio para interromper a gestação.
b) O diagnóstico de descolamento prematuro de placenta é basicamente ultrassonográfico e a quantidade de sangramento vaginal não deve ser utilizada como parâmetro da gravidade do quadro.
c) O descolamento prematuro de placenta crônico pode estar presente em 20% dos casos e, quando ocorrer no segundo trimestre e associar-se a oligoâmnio, o prognóstico é ruim.
d) Nos casos mais graves, a correção do estado hemodinâmico materno e o tratamento da coagulopatia devem ser simultâneos à conduta obstétrica.


IAMSPE
A chamada síndrome de Bandl-Frommel é característica de:

a) Placenta prévia.
b) Rotura uterina.
c) Placenta acreta.
d) Ameaça de rotura uterina.
e) Ameaça de descolamento prematuro de placenta.


SCMGO
Gestante, 38 anos de idade, GIVPIII ( três partos normais), fumante em trabalho de parto, apresenta sangramento vaginal importante. Após amniotomia percebe-se hemoâmnio. O tônus uterino e a frequência cardíaca fetal não se alteraram em momento algum. No cartão de pré-natal, consta registro de uma ultrassonografia realizada no segundo trimestre com placenta de inserção corporal posterior. Ao realizar a cesariana, o achado mais provável pelo quadro exposto acima é de:

a) Ruptura do seio marginal.
b) Placenta prévia.
c) Placenta acreta.
d) Ruptura de vasa prévia.


Essas foram as questões comentadas da série Revisando com Questões desta semana. Conte-nos o que você achou nos comentários! Sua opinião é muito importante para nós!


Olá, O que você achou deste conteúdo? Conte-nos nos comentários!